Mercado /

As tendências para o ecommerce no mobile para 2016

As compras pelo celular estão crescendo no Brasil. Segundo uma pesquisa Ipsos feita para o MercadoPago Brasil/MercadoLivre, 45% dos entrevistados realizaram algum tipo de operação de pagamentos via smartphones em 2015 – mais do que o dobro (21%) registrado no levantamento de 2014. O instituto IPSOS entrevistou 450 usuários de internet no Brasil.

Nos Estados Unidos, uma pesquisa divulgada pela comScore mostrou que as compras no mobile, incluindo smartphones e tablets, cresceram muito nos meses de novembro e dezembro de 2015. Enquanto as compras pelo desktop cresceram 6%, em comparação com 2014, as feitas em smartphones e tablets saltaram 59%. O ecommerce no mobile respondeu por 18% do total de gastos online.

Grafico_Mobile

O site Digiday mostrou algumas tendências sobre como os varejistas nos Estados Unidos estão se preparando para as compras via mobile em 2016.

Compras pelo celular vão continuar crescendo
Um relatório da BI Intelligence mostrou que, em 2020, o mobile commerce vai representar 45% do total do ecommerce nos Estados Unidos. Esse número é mais de três vezes o que a BI Intelligence prevê para 2016: neste ano, o mobile commerce deve chegar a 20,6% do total do ecommerce no país.

“Neste ano, o crescimento do mobile commerce será impulsionado pela geração Y, que usa seu celular como o seu dispositivo principal (…). Em relação aos lojistas, eles vão criar mais oportunidades para as pessoas comprarem”, disse Jaime Toplin, pesquisador da BI Intelligence.

Para os varejistas, o dinheiro não está no aplicativo
Buscas no Google, newsletters e posts nas redes sociais levam os usuários para o mesmo lugar: a loja virtual nos navegadores móveis. Apenas os líderes, como Amazon e Walmart, alcançaram um uso regular e suficiente em seus aplicativos, de acordo com um estudo da Moovweb. “Todo mundo [tirando os grandes varejistas] precisa se focar nos seus sites móveis, e não nos seus aplicativos”, disse Ajay Kapur, fundador da Moovweb.

Optimizar o checkout no mobile será prioridade
A BI Intelligence descobriu que, enquanto o mobile commerce está crescendo, suas taxas de conversão não estão no mesmo ritmo. A tela pequena, a dificuldade de encontrar detalhes dos produtos e os formulários de cartão de crédito são as razões pelas quais os clientes desistem das compras.

Segundo Toplin, em 2016 uma parcela crescente de varejistas irá incorporar serviços de pagamento sem interrupção em suas páginas móveis de pagamento. Para Kapur, uma maneira de melhorar essas páginas é colocar menos campos de formulários e criar uma experiência de usuário mais “clean”. “Uma pequena alteração, como eliminar um campo redundante, chega a bons resultados”, disse Kapur.


ecommerce, Mercado, Tecnologia /
Saiba quais são as inovações que estão norteando o varejo eletrônico!

O ano de 2017 pode não ter sido dos melhores para a economia nacional. Porém, para o e-commerce o cenário não foi tão caótico. Mesmo com a crise, o setor movimentou R$…

Veja mais
Mercado, Novidades, Tecnologia /
O que esperar para o futuro dos chatbots?

Não há como falar em tecnologia para e-commerce sem abordar os chatbots, que figuraram como forte tendência em 2017 e seguirão na mesma toada nos próximos anos. Não à toa….

Veja mais
Mercado, Novidades, Tecnologia /
Wearables: a união entre moda e tecnologia

Muito além dos smartwatches, os wearables devem invadir nossas vidas em um futuro próximo e tornar nossas vidas ainda mais conectadas.

Veja mais